Honda Accord 2003, 2004, 2005, 2006, 2007

Autor: 
Editores do Consumer Guide

O Honda Accord passou para sua sétima geração de projeto apresentando as mudanças mais dramáticas de sua história. A Honda fez uma brincadeira com a nova aparência dos modelos 2003 nos comerciais, perguntando "Accord, é você mesmo?" Mas como é comum na Honda, não houve nenhuma substância nova para atingir o novo estilo, incluindo vários recursos em primeira mão e, em 2005, o primeiro trem de força movido a gasolina e eletricidade disponível em um carro de porte médio. Após vários anos de evolução conservadora para proteger a posição de vendas do Accord, a Honda ousou inovar novamente, uma necessidade genuína no hipercompetitivo mercado do século 21.

O estilo dinâmico e características inovadoras ajudaram o Accord 2003 a competir no mercado em constante evolução.
Honda 2007 via Wieck
O estilo dinâmico ajudou o Accord 2003 a competir no mercado em constante evolução

Honda Accord 2003

O Honda Accord 2003 respondeu ao remodelado Toyota Camry 2002 com outro projeto totalmente novo, com estilo esculpido e vários recursos nunca utilizados anteriormente. O cupê e o sedã retornaram com um visual distinto, porém pareciam mais dinâmicos do que os Accords anteriores. As mudanças dimensionais foram modestas, com o sedã adicionando dois centímetros e meio à distância entre eixos, e os dois estilos da carroceria ganhando mais dois centímetros e meio na largura. Os ganhos de peso também foram modestos apesar de que anos de crescimento contínuo transformaram os Accords em carros de tamanho médio pesando cerca de 1.300 kg, bem diferente dos modelos originais de 1970.

Os modelos de 2003 reprisaram cupês e sedãs do tipo LX e EX com motores V6 e de quatro cilindros, além do líder de preços o sedã DX de quatro cilindros. Os EXs com estofamento de couro eram chamados de EX-L, mas seus preços eram designados como modelos separados. Os Accords de quatro cilindros eram equipados com o novo motor de 2,4 litros e 160 cv – mais potente em até 25 cv em relação ao motor anterior de 2,3 litros. O motor V6 de 3 litros foi retrabalhado para fornecer 40 cv de potência extra, 240 no total. A caixa manual de cinco marchas permaneceu a mesma nos modelos de quatro cilindros. Opcional para esses modelos e de fábrica para os V6, havia uma nova caixa automática de cinco marchas substituindo a de quatro. Também novo para 2003 era o cupê esportivo V6 EX com câmbio manual de seis marchas – primeiro da Accord – mais acabamento especial e rodas de 17 polegadas (diferente das usuais 16 ou 15).

O Accord EX V6 2003 inovou com um recurso de segurança exclusivo -- air bags de cortina.
Honda 2007 via Wieck
O Accord EX V6 2003 inovou com um recurso de segurança exclusivo -- air bags de cortina

Sobre o recurso de segurança para 2003, os freios antitravamento tornaram-se finalmente itens de fábrica para todos os Accords e não apenas para os modelos mais caros. Os freios a disco nas quatro rodas de fábrica permaneceram exclusivos para os V6 e para os EX de quatro cilindros. O controle de tração de fábrica permaneceu exclusivamente para os modelos V6. Os airbags frontais laterais permaneceram de fábrica para os V6 e EX de quatro cilindros e opcionais para os modelos LX. Mas como desenvolvimento importante, os airbags de cortina laterais chegaram como equipamento exclusivo de fábrica para o EX V6. Projetados para proteger as cabeças dos ocupantes do veículo em um impacto lateral, os airbags de cortina se abrem na parte de cima das janelas laterais ao serem ativados por sensores.

Uma outra inovação do Accord foi o sistema de navegação com controle de voz para as funções de navegação, áudio e clima, uma opção limitada aos modelos EX. Cada Honda Accord 2003 tinha ajuste de altura e distância do volante e com todas as características do modelo básico DX, incluindo controle remoto para abertura de portas sem chave, que podia abaixar ou levantar as janelas laterais a partir do controle remoto. Acrescentar estofamento de couro de fábrica nos modelos EX V6 com controle automático do ambiente e bancos aquecidos de zona dupla, que também estavam disponíveis nas versões de quatro cilindros com estofamento de couro.

O Consumer Guide sumarizou o Honda Accord 2003 desta maneira: "A melhor compra considera de forma permanente os recursos, refinamento e capacidade dinâmica de poder ser comparado com o modelo mais caro da Volkswagen, o Passat, do que com o possível, mas conservador, Toyota Camry. Com confiabilidade e valores de revenda que tendem a permanecer fortes, o novo Accord se parece com mais um sucesso da Honda."

Honda Accord 2004

Como era esperado, o Honda Accord seguiu seu último projeto com algumas alterações. O controle de tração era recentemente um equipamento de fábrica para todos os modelos V6, não apenas os EX, e os airbags laterais de cortina para proteção da cabeça estavam agora disponíveis para os EX de quatro cilindros, assim com as versões V6. O rádio por satélite era um item de fábrica para os modelos EX V6 e EX-L.

O sedã esportivo Acura TL 2004, baseado no Accord de sétima geração, chegou na divisão do luxuoso Acura da Honda. Os fabricantes de automóveis tornaram-se peritos em disfarçar plataformas compartilhadas e este Acura era um bom exemplo disso. Assim como o último Accord, o modelo mais novo TL enfatizava estilo único, dimensões sem muitas alterações, mais potência e várias características apresentadas pela primeira vez.

Honda Accord 2005

O Honda Insight 1999, um cupê de dois lugares, foi o primeiro carro híbrido movido a gasolina/eletricidade no mercado americano. Depois de apresentar uma versão híbrida do seu pequeno sedã Civic em 2003, a Honda introduziu o sedã Honda Accord Hybrid 2005, o primeiro carro desse tipo de tamanho médio.

Os híbridos são, geralmente, recomendados por suas baixas emissões e grande economia de combustível, mas o Accord Hybrid foi comercializado mais pelo seu desempenho. É evidente que a potência do motor era de 255 cv, graças ao uso de um motor V6 em vez de um motor de quatro cilindros. O motor era de 3 litros com sistema de controle eletrônico de Assistência Integrada ao Motor (IMA) preparado pela Honda e uma caixa automática convencional de cinco marchas em vez da usual CVT (transmissãocontinuamente variável). O IMA se referia ao motor elétrico alimentado pela bateria o qual "aumentaria" a potência do motor para uma aceleração máxima. Como medida para economizar combustível, o motor empregava o novo Sistema de Gerenciamento de Cilindro Variável da Honda, projetado para desativar três cilindros quando em velocidade de cruzeiro ou em desaceleração.

O revolucionário Accord Hybrid 2005 foi o primeiro híbrido de tamanho médio.
Honda 2007 via Wieck
O revolucionário Accord Hybrid 2005 é motorizado por um V6

Como o Civic Hybrid, o Accord não podia ser dirigido somente com eletricidade, mas não precisava ser ligado a uma tomada para ser carregado. Valorizado como o modelo mais caro da linha Accord, o Hybrid era equipado com os mesmos itens dos modelos EX V6, com estofamento de couro de fábrica, rádio por satélite, controle automático de climatização de zona dupla e bancos dianteiros aquecidos. Ele também ostentava uma grade única, spoiler incorporado, instrumentação especial e direção com assistência elétrica que economiza combustível, em vez de sistema hidráulico.

Outra exclusividade era o novo sistema eletrônico da Honda para controle de ruído ativo, com o intuito de reduzir o barulho mecânico, da rua e do vento. Por tudo isso, o Accord Hybrid era uma capacidade de força técnica, então imagine o desapontamento da Honda quando as vendas ficaram bem abaixo das projeções. Um fator provável era o preço inicial de US$ 30.000, o mais caro até hoje para um Accord e provavelmente alto demais para a maioria dos compradores de carros de tamanho médio.

Agora a única novidade da linha Honda Accord 2005 - os airbags laterais de cortina eram agora item de fábrica para todos os modelos, juntamente com os airbags de torso frontais.

Honda Accord 2006

O Accord retornou em 2006 com pequenas mudanças quanto ao seu estilo externo e acabamento interno. Como é normal na Honda, as alterações eram difíceis de serem percebidas sem ter a versão nova e a velha lado a lado. Mais significativo talvez, a linha expandiu-se para incluir sedãs VP ("Preço de Valor") um cupê e um sedã LX SE, todos com motores quatro cilindros e equipados para ocupar qualquer vazio em preços que os marqueteiros considerassem existente.

Honda Accord 2007

O Honda Accord concluiu um segundo ciclo de projeto de cinco anos com a temporada de 2007. Os modelos LX SE foram reduzidos a um sedã SE com preço levemente superior à versão VP de nível básico. Um cupê conceito mostrado no Salão do Automóvel de Detroit de 2007 sugeriu que a reestililzação programada para 2008 enfocaria um estilo mais intimidantes e dimensões levemente aumentadas.

Confiabilidade do Honda Accord

Airbags (2003): a luz de aviso do airbag pode acender devido a um defeito no sensor de detecção da posição do ocupante que precisa ser substituído. A luz também pode acender se um computador do tipo laptop for usado perto do banco do passageiro dianteiro, o que deve ser evitado.

Luz "Verificar Motor" (2003, 2004): isto pode acontecer se a bateria ficar fraca (com carga baixa), o que necessitaria de atualizações do software do módulo de controle do trem de força (computador do motor).

Problema elétrico (2003, 2004): a luz de aviso do ABS pode acender se água penetrar no(s) sensor(res) de rotação da (s) roda (s) traseira (s), que deverão ser trocados por outros aperfeiçoados.

Suportes do motor (2003): o carro pode vaguear de um lado para o outro devido a valores desiguais de cambagem; isto somente poderá ser corrigido realocando o berço do motor o mais para a direita possível.

Teto solar (2003): o teto pode não fechar completamente devido a um defeito no interruptor de fim de curso que precisará ser substituído.

Motor V6 (2002): dois problemas foram tratados como convocação de serviço. O tensionador automático da correia do comando de válvulas não funciona corretamente, resultando em frouxidão excessiva; um problema com a fundição da bomba d'água causa desalinhamento da correia do comando. Os dois componentes deveriam ser substituídos ao mesmo tempo.

Limpadores de pára-brisa (2003): a tubulação do reservatório do lavador do pára-brisa se deteriora e se transfere para o pára-brisa e seus limpadores; a tubulação e os limpadores deverão ser substituídos.

Convocações de segurança do Honda Accord

2003, 2004: a elevação do aquecimento na caixa automática pode levar, eventualmente, à quebra de dente da engrenagem ou da engrenagem, resultando em travamento da câmbio.

2004, 2005: durante a abertura, o tecido do airbag do lado do motorista pode rasgar depois de fazer contato com a superfície interna da tampa do airbag, aumentando assim o risco de ferimento. Os revendedores deverão instalar uma aba de proteção entre a tampa do módulo do airbag e o módulo interno.

2004, 2005: alguns veículos podem ter a fiação do sensor de posição do banco do motorista instalada inadequadamente; em uma colisão, isto pode fazer com que o airbag tenha pressão normal de enchimento, aumentando assim o risco de ferimento para motoristas mais baixos. Os revendedores deverão substituir o subchicote do sensor.

2005: um terminal solto na caixa de fusíveis principal pode fazer com que a bomba de combustível perca potência, tendo como possível conseqüência a parada do motor sem nenhum aviso; se a bomba ficar inoperante, não poderá ser dada a partida no motor.

2006 Hybrid: alguns veículos podem ter parafusos inadequadamente apertados nos sensores de impacto frontal do sistema de airbag do painel do carro; os sensores estão localizados perto dos faróis. Se os parafusos ficarem soltos ou caírem, os sensores poderão não detectar uma colisão e ativar os air bags, aumentando assim o risco de ferimentos. Os revendedores inspecionarão os parafusos e os reapertarão caso seja necessário.

Hybrid 2006: alguns veículos podem ter pneus que foram danificados ao serem montados nas rodas. Se a área de vedação for afetada, o pneu pode perder ar durante a sua utilização, aumentando assim o risco de um acidente. Os revendedores removerão e farão a inspeção de todas as rodas para verificar se há danos na área do talão.